20 de novembro de 2008

CONSCIÊNCIA NEGRA

Dia símbolo da luta contra o preconceito

Um dia dedicado a eles é um símbolo da luta por direitos iguais e um presidente americano negro é promessa de luta mais intensa.

Por Viviane Petroli

Publicação no Jornal Circuito Mato Grosso

Ele é filho de queniano mulçumano com americana branca. Nasceu em Honolulu, no Hawai. Formou-se em Ciência Política, trabalhou por um breve período como líder comunitário em 1983, ingressou na Faculdade de Direito e trabalhou num escritório de advocacia. Em 1996, resolveu entrar para a política, sendo eleito Parlamentar estadual de Illinois. Quando tentou a Câmara dos Deputados, quatro anos depois, sofreu amargamente com a derrota. Não desistiu. Em 2004, num gesto ousado de ataque à política de Bush no Iraque, lançou-se candidato ao Senado dos Estados Unidos. Agora, em 2008, Barack Hussein Obama tornou-se o 44º Presidente dos Estados Unidos e o primeiro presidente negro da história dessa potência mundial. Obama traz esperança para muitos, independente da miscigenação, de um mundo de mais igualdade, união e paz e distância.

Aqui na Capital mato-grossense, Aurélio Augusto Gonçalves Silva, membro do Movimento de Inteligência Negra (NIN) e secretário adjunto da Secretaria Municipal de Esporte e Cidadania de Cuiabá (SMEC), vê a vitória de Barack Obama como uma representação da evolução no processo da história dos Estados Unidos com um reflexo positivo para o restante dos países. “Hoje os Estados Unidos é um modelo ultrapassado. Obama tem a grande missão que é quebrar paradigmas, enfrentando grandes grupos e corporações poderosas em nome de um mundo que respeita as diferenças e dialoga mais,impondo menos. Tudo isso pode dar certo. É apenas o início de uma longa caminhada tal qual o sonho retratado por Luther King, há 40 anos, no seu célebre discurso ‘I Have a Dream’ (Eu tenho um sonho)”, diz Aurélio.

Preconceito e desigualdade
Hoje, em pleno século XXI, ainda é possível de se ver pelas ruas o preconceito e a desigualdade sofrida pela população negra, até mesmo aqueles que possuem uma boa condição de vida sofrem tal situação. Para Aurélio Augusto, a questão racial teve um avanço positivo e, nos últimos anos, muitas conquistas foram alcançadas. Entre estas conquistas podemos encontrar a implantação das políticas de ações afirmativas no Brasil, ou seja, Sistema de Cotas para a Educação. Aurélio ainda conta que como há ainda preconceito racial, teme que isso nunca se acabe, devido à forma que tal ato é praticado no Brasil. “É como se não existisse, como lutar contra algo que não existe”, declara Aurélio.

Para Luceni Vieira da Costa, membro do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (IMUNE), existe um avanço considerável para a população negra, mas a questão do preconceito ainda existe na vivência das pessoas e, quando se tenta mudar, ainda encontra-se certa dificuldade. Luceni diz que no mercado de trabalho o preconceito é bem visível, pois mesmo que os níveis de graduação sejam os mesmos, os negros pouco assumem em um cargo superior. Segundo ela, assim como no mercado de trabalho, no ambiente escolar também existe o preconceito e a desigualdade, pelo fato de haver poucos negros em escolas particulares. “As oportunidades para os negros ainda são restritas. Alguns não estudam por falta de oportunidade ou por ter de ajudar em casa. A data de 20 de novembro, dia da Consciência Negra, faz com que as pessoas parem e reflitam em cima dessa causa, mas essa consciência deveria ser constante e não durar apenas um dia. Somos todos iguais, só temos a cor da pele diferente. As pessoas devem parar de tirar conclusões precipitadas também”, diz Luceni.

Direito que é bom...
Todos têm direitos e deveres que devem ser cumpridos, mas na hora da execução destes, o resultado não é visto, pois “são executados meio que escondidos”. De acordo com Luceni, a discussão sobre o Sistema de Cotas é um direito conquistado pelos negros, mas há pessoas da área do Governo, Universidades entre outras instituições, que não aceitam e acabam montando debates sobre o assunto. “Tem pessoas que não acreditam que o Sistema de Cotas vá funcionar, mas se não colocá-lo em prática, não tem como saber se realmente dará certo ou não. Muitos dizem que temos direitos, mas na hora de colocar em prática é que vê o que é feito ou não”, conta Luceni.

2 comentários:

fabioricardo disse...

Obama é que nemKinder ovo.
Preto por fora, mas branco por dentro.
Tenho medo de descobrir qual será a surpresa que vem dentro.

Anônimo disse...

olá td bom? fazia tempo que não passava por aki...hj as 21:30h tem SHOW AO VIVO DE QUEEN na net!!!! em caso de querer assistir passa la no meu blog e pega o link...bjokas!

www.falaserionews.blogspot.com